Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Os 10 maiores sets LEGO de sempre

por baixinho, em 17.01.16

Mais um top 10 (o primeiro foi os melhores conjuntos de 2015 que pode ser consultado aqui) onde desta vez listo os 10 maiores conjuntos de sempre em termos de peças até janeiro de 2016.

 

Em primeiro lugar está o 10189 Taj Mahal, conjunto com 5922 peças. Este famoso monumento indiano teve a sua versão LEGO lançada no verão de 2008.

Tive o prazer de o construir na altura do lançamento para a estreia europeia num evento da Comunidade 0937 em Viana do Castelo. Lembro-me que parte da construção era monótona mas que possuía alguns detalhes bem interessantes.Lembro-me também de achar que a cúpula estava com as proporções erradas de tal forma que me pareceu um erro de desenho.

 

 10179 Ultimate Collector’s Millennium Falcon é um dos sets mais procurados de sempre e está em segundo lugar nesta lista com 5197 peças. Foi lançado em outubro de 2007, mas teve a diferença que os fãs tiveram a oportunidade de reservá-lo na loja online da LEGO com vários meses de antecedência.

Nunca tive a oportunidade de o construir, no entanto já o inspeccionei tanto em exposições como também através das fotografias de Internet. Peca essencialmente por falta de interiores.

 

Em terceiro lugar está um conjunto lançado ainda neste mês, o 75827 Firehouse Headquarters baseado no famoso quartel dos Ghostbusters. Este conjunto possui 4634 peças e foi desenhado pelo “nosso” Marcos Bessa.

Este é um conjunto que adoraria construir, o Marcos já nos habituou a construções agradáveis sempre com uma ou outra técnica inovadora e com um resultado final de excelência.

 

A interpretação LEGO da famosa ponte londrina, 10214 Tower Bridge é o quarto maior conjunto em termos de peças. São 4287 peças para formar as duas torres e o tabuleiro bem como alguns veículos em micro-escala.

Nunca montei este conjunto, mas tive a oportunidade de reconstruir parte e ter colocado algumas peças numa versão gigante que a Comunidade 0937 criou. Tem um desenho bem em linha do que foi feito com o Taj Mahal, onde uma construção nomeadamente básica é “detalhada” com algumas técnicas interessantes.

 

Lançado em 2008 com 3803 peças, o 10188 Death Star aguentou-se em produção até ao ano passado. Este enorme playset cheio de pequenos gadgets está repleto de referências ao Episódio IV e VI da conhecida saga Star Wars.

Não o construí, mas já o tive tantas vezes nas mãos que já não tem propriamente segredos. É definitivamente um playset prontinho para ser brincado pelos mais novos. Sim, um brinquedo caro.

 

Em sexto lugar nesta tabela temos o 10143 Death Star II de 2005 com 3441 peças. Desenhado com o único intuito de ser exposto, tem uma forma interessante de mostrar a segunda Death Star em construção.

Este é outro set que nunca construí, mas que tive a oportunidade de já o analisar “com as mãos”. Técnicas definitivamente inovadoras em 2005, mas com uma construção um pouco monótona em várias secções.

Curiosamente este conjunto aparece num dos episódios do The Big Bang Theory a ser construído pelo Sheldon Cooper.

 

Em 2007 a LEGO lançou o seu segundo landmark (considerando que o primeiro foi o 3450 Statue of Liberty), o 10181 Eiffel Tower com 3428 peças, sétimo desta lista. Este monumento francês foi representado em dark-bluish-grey o que foi uma opção discutível pela parte da LEGO.

Ganhei este conjunto num sorteio e a construção e o resultado final são, no mínimo, desconcertantes. A maior parte das peças utilizadas na construção são básicas, o que faz com que o resultado final tenha um aspecto muito brickbuilt. Por outro lado também podemos apreciar a capacidade de montar uma construção de relativa complexidade e com um tamanho considerável apenas com peças básicas.

 

 75059 Sandcrawler de 2014 (existe o 10144 de 2005) é o oitavo maior conjunto da LEGO contando com 3296. Este veículo gigante é também um interessante playset, já que está povoado com várias minifiguras bem como alguns gadgets para criar alguma jogabilidade.

Tive a oportunidade de construir este set no final do ano passado. A construção torna-se um pouco monótona nas partes simétricas mas no entanto possui algumas técnicas interessantes e invulgares. O resultado final é interessante e bastante próximo do original.. apesar de pequeno.

 

 O penúltimo conjunto desta lista é o 10196 Grand Corousel com 3263 peças. Este conjunto de 2009 tem como sua principal característica o de funcionar realmente graças a um motor Power Functions e até tem música.

Nunca o construí e confesso que foi um set que nunca me entusiasmou. Já o vi várias vezes em exposições, mas sempre dei mais atenção aos MOCs que o acompanhavam (por norma incluídos num parque de diversões).

 

O conjunto que fecha esta tabela é o 10221 Super Star Destroyer de 2011 e com 3152 peças. Esta construção de quase 125 centímetros vem acompanhadas de alguns minifigs e contêm uma pequena (e ridícula) sala para os colocar.

Não o construí mas também nunca me captou a atenção. Tive o 10030 Imperial Star Destroyer (seria o 11º da lista) que possui técnicas de construção mais interessantes (parte dos ângulos são consguidos através de peças com ímans) e a parte inferior é também inclinada, o que não acontece com o 10221.

 

Destes 10 conjuntos apenas construí 3 (mas um está na fila para ser montado e outro está na lista) e, penso eu, que não sejam propriamente os sets mais entusiasmantes da LEGO em termos de construção.

Destaco que metade da lista pertence ao tema Star Wars e em temas licenciados há que adicionar mais um, o quartel dos Ghostbusters. De notar que outros três conjuntos são monumentos conhecidos e que, portanto, apenas um (o Grand Carousel) tem um desenho original. Apesar de 6 conjuntos terem minifigs é discutível que eles estejam à escala das figuras LEGO.

A construção desta lista foi facilitada pelas ferramentas do Brickset, ferramenta cada vez mais essencial aos AFOLs em geral e aos colecionadores em particular.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:08

Os 10 melhores conjuntos LEGO de 2015

por baixinho, em 28.12.15

Uma coisa que tenho sentido nos últimos anos é que cada vez mais ignoro a grande maioria dos conjuntos que a LEGO lança. Claro que deve ser fácil de perceber que ter mais de 15 anos de AFOL faz com que comece a ser difícil ficar surpreendido com os novos conjuntos. Aliás, começa a ser difícil manter qualquer atenção na maior parte dos temas, focando-me apenas nos que me interessam mais e por vezes apenas numa faixa de preços.

Para tentar contrariar isto decidi fazer este top. Assim fui “obrigado” a pelo menos dar uma vista de olhos em todos os sets no Brickset marcados como de 2015. Tentar também não olhar apenas para os mais caros e/ou os mais direccionados para adultos e até imaginar-me como apreciador de Duplo e Technic. Exercício que por vezes até foi engraçado.

Claro que o resultado não é perfeito (nem esperava que o fosse). Não construí muitos conjuntos deste ano e por cima não acompanhei muitos temas nos anos anteriores e, portanto, não sei se houve avanços significativos nesses mesmos temas. A opinião é baseada essencialmente nos meus critérios e gostos mas também na minha experiência. Tentei também ignorar outros tops que já apareceram noutros sites dando assim um cunho pessoal a este top, o que aliás é o que tento fazer para o meu blog.

 

Bem, chega de treta e aqui fica o meu top de sets para 2015 ordenados pelo número da referência e ignorando livros, merchandising, gear, packs, etc.

 

10246: Detective's Office

É mais um modular que a LEGO lança, o décimo se contarmos com o Market Street. Se a qualidade dos modulares baixou em alguns dos seus lançamentos, a LEGO redimiu-se em 2014 com o Parisian Restaurant e com este Detective’s Office confirmou a tendência. Recheado de técnicas originais e soluções engenhosas num resultado que é um regalo para os olhos. Por vezes parece que algumas peças foram inventadas para serem criativamente incluídas em sets deste tipo.

 

21303: WALL•E

Não sou propriamente admirador do filme e confesso que até me cansei um pouco de ver o pequeno robô em tudo o que é lado no ano em que o filme saiu. No entanto a construção vendida pela LEGO capta na perfeição o cuteness do original além de conseguir ter alguns dos seus pontos de mobilidade. Foi mesmo num desses pontos de mobilidade que apareceu um problema que levou a LEGO a emitir uma correção e atrasar a entrega do conjunto em alguns países. Nada que pertubasse a qualidade final do conjunto que com certeza irá habitar as prateleiras de muitos quartos de miúdos.. e não só.

 

41073: Naida's Epic Adventure Ship

O tema Elves foi uma agradável surpresa. Conceitos originais, peças novas, novas cores, etc. Este barquito é o perfeito porta-estandarte deste tema, apesar de não ser o maior conjunto. Possui uma engenhoca engraçada (a roda do leme faz rodar o mastro da vela) e tem umas linhas extremamente interessantes sem utilizar uma única peça a fazer de casco do barco como acontece em outros conuntos. O jogo de cores não cai no exagero de outros conjuntos Friends/Elves e apresenta uma boa jogabilidade com um preço bem acessível.

 

42043: Mercedes-Benz Arocs 3245

Não sou apreciador dos conjuntos Technic, no entanto parece-me difícil não destacar este monstro de quase 4.5kg. A LEGO continua a reservar o topo de gama do tema a um modelo de um veículo real, e continua a fazê-lo de forma magistral com a inclusão de várias funcionalidades numa construção imediatamente reconhecível.

 

60080: Spaceport

Em 2014 a LEGO surpreendeu-me com um sub-tema pacífico e de exploração em City, o Artic. Este ano a LEGO continuou a surpreender e desta vez duplamente já que lançou dois temas de exploração, Space Port e Deep Sea Explorers. Este SpacePort representa de forma muito satisfatória e jogável o Space Shuttle norte-americano que irá habitar o nosso imaginário durante muito tempo. O veículo transportador ficou aquém das minhas expectativas.. mas penso que ninguém repara nele mesmo :)

 

60092: Deep Sea Submarine

Simplesmente não consegui resistir em não indicar um conjunto deste sub-tema que me seduziu imenso. Este pequeno submarino capta bem a ideia do tema onde não há propriamente uma jogabilidade baseada nos “bons” contra os “maus”. Há que destacar também o modelo do submarino que está construído de forma excelente e que remete para o esquecimento outras versões do mesmo estilo que a LEGO fez em anos anteriores.

 

70751: Temple of Airjitzu

Esta foi, sem dúvida alguma, a boa surpresa deste ano em termos de conjuntos LEGO. Um tema que não era propriamente conhecido por cativar os AFOLs, sai-se com um conjunto cheio de detalhes que cativam e merecem um olhar atento dos mais velhos. Tem um aspeto perfeito e com uma jogabilidade bem pensada onde a originalidade também tem lugar.

Ainda estive para destacar o Final Flight of Destiny’s Bounty em vez deste, no entanto a imponência do templo venceu claramente o meu gosto por navios voadores.

 

71008: LEGO Minifigures - Series 13 - Complete

As séries de minifigs coleccionáveis já andam por aqui há tanto tempo que a maioria do pessoal deve apenas juntar a colecção e seguir em frente sem se aperceber de algumas preciosidades que a compõem. Esta série está pejada de minifigs interessantes e facilmente utilizáveis em construções originais. Além disso estão recheados de pormenores que elevam ainda mais a excelência do que a LEGO já fez em anos anteriores. O Rei, o Xerife, a Samurai e até o Feiticeiro são exemplos perfeitos disso mesmo.

E sim, ainda não consigo perceber o que aquele cachorro-quente tem de especial :)

 

75060: Slave I

O resultado final da construção LEGO desta belíssima nave é simplesmente bestial e fica bem em qualquer prateleira de fãs Star Wars. A construção também é interessante com algumas técnicas únicas. No entanto tem alguns pormenores que não são totalmente do meu agrado (traseira e forma com o windscreen sai).

De qualquer forma é daqueles poucos sets que me fazem pensar se não valeria a pena gastar uns cobres para o ter aqui ao meu lado.

 

75102: Poe's X-wing Fighter

Bem tentei, mas seria difícil ignorar todos os conjuntos interessantes que a LEGO fez para este último filme Star Wars. Ainda considerei a Millennium Falcon (segundo vários reviews é muito bem superior às ultimas versões que a LEGO fez da nave) mas acabei por escolher a X-Wing do Poe Dameron, um dos personagens que mais gostei no filme.

A versão LEGO da nave respeita bem as proporções da original e traz o tal windscreen que já deveria ter sido disponibilizado há muito tempo (mesmo tendo em conta as queixas). Adoro as linhas arredondadas dos motores e a simplicidade do mecanismo para abrir e fechar as asas. O esquema de cores não é bem o meu preferido, mas aí a LEGO não tem voto na matéria.

Pena é ser caríssima.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:14

O quartel dos Ghostbusters

por baixinho, em 28.10.15

LEGO Ghostbusters 75827 - Firehouse Headquarters

Depois de muitos boatos e rumores aqui está a imagem do conjunto da LEGO que irá fazer furor no início do próximo ano, o quartel dos Ghostbusters. Ao que tudo indica é um set que foi desenhado pelo nosso Marcos Bessa com mais de 4500 peças e a custar cerca de 370€.

Agora espera-se ansiosamente por imagens do interior :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:01

Ao engano?

por baixinho, em 19.09.15

Lego Bat-Pod - UCS - Tumbler MOD 5004590

Ontem vi este screen-capture do utilizador Athanor-Paris do Flickr e causou-me logo várias questões. Não era difícil de adivinhar que o conjunto 5004590 Bat-Pod (do nosso conterrâneo Marcos Bessa) iria chegar a preços absurdos* no mercado paralelo, visto que se diz que foram distribuídas apenas 1000 unidades e, pelo que percebi, por sorteio entre os clientes VIP** da LEGO.

A questão está mais na primeira entrada da listagem. Um Bat-Pod sem caixa e sem instruções (originais) vale quase 500€?

Claro que é fácil de perceber que este vendedor arranjou o PDF das instruções (que já anda pela Internet), juntou as peças necessárias e toca a vender a um preço absurdo. Penso que aqui o "absurdo" já pode ser mais unânime :).

Mas agora pergunto-me. Se as peças que compõem este conjunto não valem 500 euros.. porque raio é que o conjunto fechado vale tanto dinheiro? É a caixa e as instruções que fazem o conjunto valer tanto?

Parece que não.

Portanto é apenas o "ser raro" que faz valer tanto.. e isso, penso eu, que pode não ter nada que ver com o LEGO que lá está dentro.

 

*sim, cada um dá o que quer por determinado objeto, mas eu posso sempre pensar que é um absurdo esse valor, por muito mais que o admire.

**Para quem não sabe, não é assim tão difícil ter este título: http://shop.lego.com/en-PT/VIP

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:11

Great LEGO Sets

por baixinho, em 09.08.15

DK Great LEGO sets

Os grandes conjuntos LEGO é um livro da DK que irá ser lançado no início de Outubro. Contém uma pequena versão do 928 Galaxy Explorer, mas pessoalmente estou mesmo curioso com conteúdo do próprio livro. Que sets são os "grandes", que textos irão acompanhar as imagens, etc.

Pelo menos o Huw do Brickset ficou agradado com o resultado. Não sou propriamente um coleccionista de conjuntos* mas a curiosidade pela história da LEGO é mais que suficiente para ter este livro na minha lista de compras.

 

*confesso que se tivesse €s, até o seria de pelo menos alguns temas :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:14

A Slave I ao longo dos tempos

por baixinho, em 25.07.15

Slave1Fam1

A Slave I é provavelmente a minha nave preferida do universo Star Wars. O seu formato diferente e as suas cores ajudam imenso à formação dessa minha preferência.

Nesta fotografia estão as várias versões que a LEGO fez da nave (tirando um par de versões em micro-escala). Tive as primeiras três (as da direita) e tive o prazer de montar à pouco tempo a última. Todas com o seu interesse. Sim, mesmo a primeira pode ser considerada minimamente interessante se a incluirmos numa perspectiva histórica.

Mas o melhor é mesmo dar uma vista de olhos neste excelente artigo no Eurobricks sobre estas cinco versões da Slave I!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:18

Review do set 70709 - Galactic Titan

por baixinho, em 01.07.15

Referência: 70709
Nome: Galactic Titan
Tema: Galaxy Squad
Ano de Edição: 2013
Número de Peças: 1012
Preço LEGO®: €99,99
Preço por peça: 9,9 cêntimos
Dados de compra: N/A
Instruções: 2 livros
Autocolantes: Sim
Minifigs: 5
Modelos alternativos: Não
Lista de peças: Sim, no fim do livro de instruções


 
As peças
9/10
Apesar de um PPPwiki de quase 10 cêntimos, a variedade e quantidade de algumas peças é bem interessante. Destaco as peças em azure, dark-blue, dark-red e a quantidade de peças brancas. Fora as peças dos minifigs e respectivos acessórios existem duas peças exclusivas. A 3640 em lime e a muito interessante 57792 em branco. Destaco também a presença de duas peças interessantes em dark-red que apenas estão presentes num outro conjunto, a 48729 e a 60032.
Os minifigs são excelentes, particularmente os alienígenas. De notar a presença de um pequeno Insectoid (larva?) que tanto no Brickset como no Bricklink não é considerado como minifig.


70709 Galactic Titan (16)
by Luis Baixinho, on Flickr

A construção
8/10
A construção divide-se em 7 fases distribuídas por dois livros de instruções.
A primeira fase dedica-se à montagem dos minifigs alienígenas, base e veículo. A construção destes dois últimos não são particularmente interessantes e no veículo até existe alguma repetição de passos.
A segunda fase centra-se na base/chassi do veículo terrestre com uma componente forte de peças technic, essenciais para a resistência do resultado final.
A terceira fase quase que completa o veículo deixando as lagartas e laterais do veículo que são montadas na quarta fase (fase que abre o segundo livro). É nesta fase que é montada o primeiro minifig terrestre e onde volta a aparecer peças technic para as lagartas e torre de mísseis.
A quinta fase inicia a construção do veículo aéreo (cockpit) que se prolonga pela sexta (corpo) e sétima fase (asas). A presença de técnicas em SNOTwiki e de technic é forte tanto para a resistência do veículo bem como para possibilitar os ângulos das asas.


70709 Galactic Titan (6)
by Luis Baixinho, on Flickr

O desenho
8/10
Apesar de ter tido alguma deceção quando montei a nave em relação aos vídeos e imagens que circulavam na Internet, não deixo de gostar do resultado final. Pessoalmente acho que os grandes defeitos são que o veículo quando está com os componentes terrestre e aéreo juntos parece esquisito por ter duas “frentes”. Quando separado, ambos os veículos ficam com enormes áreas vazias/despidas apesar de isso ser um pouco disfarçado na componente aérea. No entanto há que ressalvar que a utilização de SNOT nas laterais dão linhas muito interessantes ao veículos, muito similares ao do conjunto 70704.
A base e veículo alienígena conseguem o pretendido, ter um ar “estranho”.


70709 Galactic Titan (4)
by Luis Baixinho, on Flickr

Jogabilidade
8/10
Poderia ter tudo para ter uma grande jogabilidade, no entanto pequenos detalhes minam esta característica do conjunto. Primeiro esperava-se mais da base alienígena visto que tem apenas uma função, o “expelir” (saltar) um ovo de uma larva. O veículo tem um ar de centopeia onde parece que a única função que tem é o transporte de um único ovo..
O veículo terrestre perde por aparentemente ter duas frentes quando está completo, quando está incompleto as lagartas emperram muito facilmente, talvez por o veículo ficar muito leve.


70709 Galactic Titan (13)
by Luis Baixinho, on Flickr

Conclusão
8/10
Tinha grandes expectativas em relação a este set e provavelmente por isso fui mais exigente na análise. Tem peças muito boas e a construção é interessante, apesar de ter algumas componentes repetidas. O desenho é bom mas não excelente, peca em dois detalhes falados acima (vazio e duas frentes). Esperava também mais da jogabilidade.
É um bom conjunto mas não chega à excelência (como esperava).


70709 Galactic Titan (11)
by Luis Baixinho, on Flickr

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:56

Review do set 70704 - Vermin Vaporizer

por baixinho, em 30.06.15

Referência: 70704
Nome: Vermin Vaporizer
Tema: Galaxy Quest
Ano de Edição: 2013
Número de Peças: 506
Preço LEGO®: €49,99
Preço por peça: 9,8 cêntimos
Dados de compra: Continente, Novembro de 2013
Instruções: 2 livros
Autocolantes: Sim
Minifigs: Sim, 3
Modelos alternativos: Não
Lista de peças: Sim, no fim das instruções


 
As peças
8/10
O PPPwiki deste conjunto está perto dos 10 cêntimos, o que apesar não ser propriamente mau, também não o torna muito atraente. Fora as peças dos minifigs e acessórios, não existe qualquer peça exclusiva, mas destaco a presença de seis unidades da 60593 em verde escuro, peça que apenas aparece em 4 outros sets (todos mais antigos). A 87752 em trans-clear era exclusiva na altura que este conjunto saiu, mas este ano (2015) saiu um novo set em que esta peça é utilizada.
A variedade de peças é interessante principalmente de cor branca. Variedade e quantidade mais que suficiente para construir pequenas construções com predominância desta cor.
Os minifigs são da qualidade habitual da LEGO onde destaco o Alien Buggoid.


70704 Vermin Vaporizer (4)
by Luis Baixinho, on Flickr

A construção
9/10
A construção divide-se em 4 fases (saquetas) distribuídos por dois livros. A primeira fase é dedicada à montagem dos minifigs, do pequeno rover e do veículo alienígena. Apesar de algum SNOTwiki no rover, esta fase é relativamente desinteressante.
Nas duas fases seguintes é construído o veículo principale são estas as partes mais interessantes da construção. Existem peças technic mas que apenas suportam de forma resistente a base do veículo. Toda a resistência das paredes laterais são conseguidas através de SNOT onde a utilidade da técnica é aliada de forma excelente à componente estética.
Na última fase (que ocupa o segundo livro de instruções) é dedicada à construção do pequeno mech que segue os moldes habituais da LEGO. De destacar que as articulações dos membros inferiores são limitados a um eixo (frente-trás) o que, de forma inesperada para mim, faz com que o mech seja mais estável.


70704 Vermin Vaporizer (11)
by Luis Baixinho, on Flickr

O desenho
10/10
Se ignorar o pequeno veículo alienígena, considero que o desenho deste conjunto é perfeito. Claro que a traseira do veículo principal parece um pouco vazia e que torna o veículo claramente mais “pesado” na frente, no entanto isso pode ser esquecido principalmente quando o mech está pousado no veículo.
O veículo terrestre é claramente o ponto alto deste set. O cockpit frontal esconde um pequeno rover que funciona quase como que um escape pod saindo pela frente do veículo. O mech encaixa-se na parte traseira e transforma-se numa torre de defesa/ataque, no entanto de forma que parece bem integrada no veículo. Quando o mech “salta” fora, dá espaço para se utilizar a um pequeno laboratório para investigar as cápsulas alienígenas.
As próprias linhas do veículo estão muito bem conseguidas com um ar bem moderno e cheio de curvas.


70704 Vermin Vaporizer (22)
by Luis Baixinho, on Flickr

Jogabilidade
10/10
O pequeno veículo alienígena serve apenas como representante da facção inimiga, visto que a jogabilidade concentra-se de forma bem interessante no veículo terrestre. Como referi acima é um veículo que se pode transformar em três e até possui um pequeno laboratório o que, com certeza, dará azo a mil e uma brincadeiras.


70704 Vermin Vaporizer (19)
by Luis Baixinho, on Flickr

Conclusão
10/10
O conjunto poderia ter algumas características melhores, como um preço mais baixo e uma traseira mais encorpada, no entanto a sua excelência no design como na jogabilidade não podem ser ignoradas. Foi um conjunto que me deu imenso prazer de construir e descobrir pormenores desconhecidos (como da existência do laboratório). Perfeito para um set que não é de um tema licenciado ou dirigido aos mais velhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:12

Construindo o restaurante parisiense (parte 3)

por baixinho, em 14.02.15

10243 Parisian Restaurant (14)

O terceiro e último livro de instruções compreende o quarto grupo de saquetas e leva apenas 39 passos para completar as águas-furtadas do Restaurante Parisiense.

Nos primeiros 10 passos é construída a base deste andar, a lareira e parte das paredes. De notar que nesta fase são construídos dois canteiros de flores (apenas visíveis na terceira fotografia deste post) que ficam posicionados num local deveras esquisito. Além de que é utilizado uma técnica de half-stud que me pergunto se seria necessária.

10243 Parisian Restaurant (15)

Os 10 passos seguintes compõem provavelmente o ponto alto deste set. Primeiro são construídos os 3 blocos com penas que fazem um efeito muito interessante, depois os dois blocos com os ornamentos e de seguida a janela central. Para finalizar é feito um simples atelier de pintura para o interior que se pode ver na foto seguinte.

10243 Parisian Restaurant (16)

Nesta fase é terminada a porta, as paredes e a lareira no interior

10243 Parisian Restaurant (17) 

Os últimos nove passos são para completar os telhados e o topo do edifício, telhados estes construídos com curved slopes que lhe dão um ar único.

A experiência de construir este modular é bastante agradável e cheia de técnicas interessantes. De lembrar que este conjunto foi considerado o melhor set de 2014 pela Comunidade 0937, ganhando para a Vaca do Mar por apenas um voto. São dois sets bem diferentes e apesar de preferir a Vaca do Mar não só pelo estilo steampunk que tanto me agrada mas também pela sua imponência, o restaurante pode ser considerado um justo vencedor. Pessoalmente até acho que deu uma nova vida aos Modular Buildings depois de dois sets que pessoalmente acho mais fracos, o Town Hall e o Palace Cinema.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

Construindo o restaurante parisiense (parte 2)

por baixinho, em 11.02.15

10243 Parisian Restaurant (8)

Os primeiros onze passos do segundo livro de instruções são dedicados a uma pequena esplanada que fica independente do resto do piso. A construção é simples e apenas destaco as floreiras nos candeeiros.. e que aviso, devido às peças utilizadas (que são de um material diferente das restantes peças LEGO), basta qualquer toque para caírem.

10243 Parisian Restaurant (9)

Nos dez passos seguintes é iniciado o primeiro andar do edifício que é composto por um pequeno T0. Nestes passos já dá para entrever a lareira, um cadeirão e uma pequena mesinha de apoio na parte da sala e uma mesa e banco para a parte em que será a cozinha. Ao contrário do piso inferior, este andar não terá um chão composto por tiles.

10243 Parisian Restaurant (10)

Mais 10 passos e o interior está praticamente pronto. Lareira (o brilho na chama foi acidental), abajur, cama de parede (aqui fechada) e cozinha com fogão, banca e armários (que não se vêem na fotografia) completam o mobiliário. Destaco a forma como foi feita a cama, muito engenhosa.

 

10243 Parisian Restaurant (11)

10243 Parisian Restaurant (12)

Os 14 passos seguintes compõem as portas, janelas e as escadas exteriores para acesso às águas-furtadas. Nesta fase realço a construção em SNOT das paredes laterais das janelas, que assim conseguem um efeito interessante para as ombreiras.

Penso que fazendo umas pequenas alterações, dará para repetir este piso para aumentar o número de andares do edifício.

10243 Parisian Restaurant (13)

Colocando o piso no edifício o efeito começa a ser muito interessante.

Falta apenas o quarto grupo de saquetas (terceiro livro) que servirão para construir as águas furtadas do edifício.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30


Pesquisar

Pesquisar no Blog



subscrever feeds



O meu próprio tema LEGO

Wiki OutroMundo