Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Review do set 7036 – A Mina dos Anões

por baixinho, em 08.03.08
Referência: 7036
Nome: A Mina dos Anões
Tema: Castle
Ano de Edição: 2007 como exclusivo nos EUA, 2008 para
Número de Peças: 575
Preço LEGO®: 49,95€
Preço por peça: 8,6 cêntimos
Dados de compra: MiniÂncora, Março de 2008
Instruções: Dois livros A4 de 48 páginas cada
Autocolantes: Não
Minifigs: 7 - 4 anões, 2 guerreiros troll e um troll gigante (nomenclatura LEGO)
Modelos alternativos: Não
Lista de peças: Sim


 
As peças
8,6 cêntimos é um preço razoável para um set de um tema não licenciado mas que possui uma gama de peças exclusivas.
Os minifigs são um dos pontos fortes, são sete. Ok que as características deles levem a que sejam de difícil utilização noutros contextos... mas pensando bem, também era difícil o contrário. Utilizar minifigs normais para fazer trolls e principalmente anões não é lá muito fácil. Os anões estão simplesmente perfeitos. Dois capacetes e duas barbas e em várias cores permitem várias combinações. O Troll gigante (que passarei a chamar de “o inofensivo”) está muito bem conseguido. A caracterização está conseguida de forma a continuar a parecer LEGO e conseguir ter um ar ao mesmo tempo de “mau” e engraçado. Também é terrivelmente alto, contando com os cornos tem mais ou menos a altura de dois minifigs. Chamo-o de inofensivo porque ao “bater” com a clava ela não chega mais longe que o próprio punho do Troll...
Quanto aos acessórios temos 2 unidades da nova espada dos trolls, muito bem concebida e não tão grande como as últimas espadas a serem criadas pela LEGO. A clava do troll também é impressionante só pecando por só ter uma forma de a pegar. Se tivesse studs na parte de cima poderíamos aumentar a sua utilização noutras situações sem a descaracterizar muito. Além disso temos machados quanto baste, só duas picaretas (numa mina ?), copos dourados, escudos, uma coxa de frango e até um lindo martelo feito de peças!
Quanto às restantes peças temos algumas incomuns e até mesmo raras. Desde os carris dos comboios antigos, passando pelas portas em verde escuro e chegando a bricks em verde escuro que dão sempre jeito. Temos também direito a 4 BURPs.. mas há que compreender que ajudam em muito a imponência da construção.
Cada saqueta trazia algumas peças extra. Isso é normal, estranhei é que agora traz também cheeses... e assim fiquei com mais 3 cheeses azuis escuro e um verde escuro.


A construção
Dividida pelas saquetas é de fácil seguimento. Estranhei o facto de as instruções de uma das saquetas estar dividida entre os dois livros, não facilitando a divisão entre duas pessoas. Fiquei agradado porque algumas páginas têm mais que um passo e existe a lista de peças para cada um deles.
O resultado das primeiras três partes da construção é modular e poderíamos trocar a ordem se quiséssemos. Mas estranhamente a quarta parte (frente e carris) vai as fixar. Muito provavelmente foi uma ideia que ficou pelo caminho durante o desenvolvimento do conjunto.


O desenho
Imaginar a construção da entrada de uma mina é sempre difícil quando sabemos que não poderemos construir o resto da montanha. Os LEGO Designers tornearam isso focando apenas naquilo que foi construído pelos anões, deixando o resto à nossa imaginação. Acho pessoalmente o desenho perfeito, tudo é aproveitado para melhorar a jogabilidade sem no entanto estragar a imagem.
Temos assim num desenho relativamente compacto uma recta para os vagões; vagões que estão muito bem concebidos lembrando mais uma construção de AFOLs, uma cozinha, trono, catapulta, “cesto-elevador”, portões, “cesto-teleférico”, ferreiro, escorrega, um pequeno circuito para as pedras recolhidas nas minas, etc.
Quanto às cores utilizadas temos os cinzas para a pedra, castanho para a madeira, preto e verde escuro para o metal e um apliques de azul escuro e dourado. Tudo de uma forma coerente e sem ficar demasiado “arco-íris”.
Sim, temos a eterna e dispensável catapulta. Espaço a meu ver que poderia ter sido gasto com algo mais “mineiro”, mas globalmente pouco afecta o desenho geral e pode-se sempre e facilmente retirá-la.


Jogabilidade
Máxima. Temos o conflito entre os trolls e anões que além de possuir os indispensáveis acessórios tem também um objectivo. Anões a defenderem a sua preciosa mina, trolls a atacarem. A própria mina encerra vários locais de combate, com escadas, varandas, vagões, escorregas, teleféricos, elevadores, etc que poderão ser utilizados para cenas de grande variedade e acção.
Em tempos de paz a própria mina é uma grande fonte e brincadeira, assisti a isso mesmo com a Leila que brincou com ela sem recorrer ao conflito. O circuito para as pedras, a cozinha, o ferreiro, etc são mais que suficientes para brincadeiras.
Para os mais adultos a mina não é de fácil encaixe num layout, no entanto é um bom ponto de partida tanto de peças como de inspiração para grandes MOCs. Aliás, durante o CCC V já se viram algumas criações baseadas neste conjunto.


Outros
Peças. Continuam as pequenas diferenças de tonalidade; algumas slopes com rugosidade e outras sem rugosidade. No entanto isso já não acontece entre peças iguais. Preocupante achei os bricks normais com tamanhos ligeiramente diferentes. Quando se faz uma parede nota-se perfeitamente as diferenças- Qualquer um destes problemas não é novidade. Nota-se que já há um esforço da LEGO para serem corrigidos, tanto a rugosidade das slopes como as diferenças de tonalidade já não são tão notórios. Estes pequenos defeitos também só serão notados por quem os procure, duvido que as crianças notem.


Conclusão
Este era um daqueles sets que tinha grande expectativas, principalmente por causa dos anões. Expectativas essas que não foram só completamente satisfeitas como fiquei surpreendido com o resto do conjunto. Jogabilidade, peças, desenho, tudo do meu agrado.
Só não dou a nota máxima pelo problema da qualidade das peças. Problema a que o set em si é alheio.


Brickset: 7036
Inventário Peeron: 7036

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:32


Pesquisar

Pesquisar no Blog



subscrever feeds



O meu próprio tema LEGO

Wiki OutroMundo